04 abr 17

O tratamento do câncer pode aumentar muito a demanda nutricional do nosso corpo. Por isso é muito relevante que neste período de terapia a dieta seja sempre saudável e rica em alimentos nutritivos. Os principais objetivos nutricionais durante o tratamento do câncer é manter um peso corporal compatível com a normalidade e comer alimentos adequados que possam suprir o nosso corpo com calorias e nutrientes. Desta forma conseguimos promover ao corpo energia suficiente para que a reparação, recuperação e cicatrização dos órgãos e tecidos afetados ocorram da melhor maneira possível.

Pacientes com câncer devem receber uma dieta equilibrada e medicamente comprovada, com recomendações individuais e personalizadas, e baseada em inúmeros fatores, como o tipo de câncer, o estágio da doença, o tratamento planejado e proposto, a história nutricional e de peso, resultados de avaliação de composição corporal e os valores dos exames laboratoriais. Esta é uma doença grave e com riscos óbvios, por isso não se deve perder tempo com informações e condutas não estudadas e com efeitos que não foram rigorosamente examinados. Infelizmente a parte alimentar é uma das que mais sofre com informações equivocadas, principalmente quando se pensa que alimentos “mágicos” podem resolver muitas questões e até mesmo curar o paciente. Dietas alternativas e sem o aval de estudos sérios mostram-se prejudiciais aos pacientes com câncer. Assim como toda pessoa saudável, o paciente com câncer deve comer uma dieta correta e equilibrada, que inclui frutas e vegetais, quantidades moderadas de grãos integrais, boas fontes de proteínas (carnes peixe, frango e carne vermelha magra), lacticínios com baixo teor de gordura, leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico) e tofu, por exemplo. Ou seja, uma dieta comum, sem segredos, mas adequada e pensada para cada caso. Se houver necessidade, suplementos alimentares podem ser indicados por especialistas em nutrição, principalmente quando não se atinge o requerimento alimentar mínimo necessário com a dieta regular.

E se apesar de toda uma oferta alimentar adequada e rica em opções o paciente não conseguir comer de maneira correta durante o tratamento? Este é o grande problema que aflige pacientes, familiares e equipe de saúde quando se pensa em alimentação e pacientes com câncer. Infelizmente os efeitos colaterais decorrentes do tratamento podem comprometer os hábitos alimentares e o status nutricional. (mais…)

O tratamento do câncer pode aumentar muito a demanda nutricional do nosso corpo. Por isso é muito relevante que neste período de terapia a dieta seja sempre saudável e rica em alimentos nutritivos. Os principais objetivos nutricionais durante o tratamento do câncer é manter um peso corporal compatível com a normalidade e comer alimentos adequados […]
28 mar 17

O câncer é uma doença que se caracteriza pelo crescimento desordenado e invasivo de células do nosso corpo. Obviamente esta é uma informação técnica e fria sobre uma doença, mas que na prática traz uma série de dúvidas, angústias e sofrimento para aqueles que sofrem com a doença e de seus familiares. Como uma doença complexa e grave, com tratamentos e terapias agressivas, e com consequências físicas e emocionais enormes, pensar em todos os aspectos é muito importante.

Atendo em meu consultório pacientes com câncer e claramente percebo que um destes aspectos é algumas vezes negligenciado durante o processo de diagnóstico e tratamento. O aspecto nutricional! A razão para isto é que após o diagnóstico os pacientes são submetidos a inúmeros exames para estadiamento e acompanhamento da doença, cirurgias, quimioterapia e radioterapia, o que torna a sua vida tão intensa e atribulada, que é realmente difícil se pensar em todos os detalhes. Mas os aspectos alimentares e nutricionais não podem ser esquecidos. A má nutrição é um problema comum em pacientes com câncer e tem sido reconhecida como um efeito adverso importante da doença, já que aumenta a morbidade e mortalidade, além de causar um prejuízo à qualidade de vida. Mais do que isso, a perda de peso causada pela doença é um indicador de pior prognóstico em pacientes com câncer. Saibam que 80% dos pacientes com câncer digestivo e 60% dos pacientes com câncer de pulmão já se apresentam com perda significativa de peso (mais de 10% do peso em 6 meses) no momento do diagnóstico. Por isso, todo paciente com câncer deve ter a sua parte nutricional avaliada e estudada por um especialista capacitado em nutrição e que entenda a complexidade dos cuidados de um paciente com câncer. (mais…)

O câncer é uma doença que se caracteriza pelo crescimento desordenado e invasivo de células do nosso corpo. Obviamente esta é uma informação técnica e fria sobre uma doença, mas que na prática traz uma série de dúvidas, angústias e sofrimento para aqueles que sofrem com a doença e de seus familiares. Como uma doença […]
29 jul 15
Aspectos nutricionais da Doença de Crohn e da Retocolite Ulcerativa

A manutenção da saúde humana requer a ingestão contínua de nutrientes, assim como a sua digestão e absorção, o que só é possível quando o nosso trato digestivo funciona de maneira adequada. No entanto, muitas alterações digestivas interferem na digestão normal. A Doença de Crohn (DC) e a Retocolite Ulcerativa Idiopática (RCUI) são doenças do trato digestivo que se caracterizam por um proeminente processo inflamatório intestinal, repercutindo no processo digestivo e trazendo assim repercussões nutricionais evidentes. Desta forma, este artigo discute as principais alterações nutricionais decorrentes destas doenças e dos seus tratamentos. (mais…)

A manutenção da saúde humana requer a ingestão contínua de nutrientes, assim como a sua digestão e absorção, o que só é possível quando o nosso trato digestivo funciona de maneira adequada. No entanto, muitas alterações digestivas interferem na digestão normal. A Doença de Crohn (DC) e a Retocolite Ulcerativa Idiopática (RCUI) são doenças do […]
09 jun 15
Prebióticos e Probióticos: o que são e o que fazem para a nossa saúde?

Dr Fernando Valerio - Blog - Próbioticos
O trato gastrointestinal humano constitui o habitat de uma comunidade bastante grande e diversificada de microrganismos (bactérias). A colonização do trato gastrointestinal inicia-se imediatamente após o nascimento. Durante os primeiros dias de vida, o intestino é colonizado por bactérias provenientes do ambiente e da mãe. Entre 10 a 20 espécies compõem em torno de 90% das células bacterianas que ocupam o intestino humano. A mudança para microbiota adulta acontece após o desmame e, já no segundo ano de vida, a constituição da microbiota intestinal torna-se similar àquela de um adulto e mantém-se relativamente estável ao longo da vida. A quantidade e variedade de microrganismos aumentam progressivamente desde o estômago até o cólon. Em um indivíduo adulto, o trato gastrointestinal contém 10 vezes mais bactérias do que o número de células do corpo humano inteiro. Como esses microrganismos são metabolicamente ativos e interagem continuamente com o seu ambiente, são capazes de exercer uma influência significativa no desenvolvimento e na fisiologia do hospedeiro. Os prebióticos são ingredientes de alimentos que beneficiam o organismo do hospedeiro estimulando o crescimento e/ou o aumento da atividade de um número limitado de espécies de bactérias, gerando seletividade no cólon e possíveis benefícios à saúde e ao bem-estar dos indivíduos. Os probióticos são definidos como microrganismos vivos os quais conferem benefícios de saúde ao hospedeiro, quando administrados em quantidades adequadas. Sendo assim, o objetivo deste artigo é discutir do que se tratam os prebióticos e probióticos, assim como os seus possíveis efeitos à nossa saúde. (mais…)

O trato gastrointestinal humano constitui o habitat de uma comunidade bastante grande e diversificada de microrganismos (bactérias). A colonização do trato gastrointestinal inicia-se imediatamente após o nascimento. Durante os primeiros dias de vida, o intestino é colonizado por bactérias provenientes do ambiente e da mãe. Entre 10 a 20 espécies compõem em torno de 90% […]
23 mai 15
Whey Protein ou Caseína: qual destes suplementos de proteína é mais efetivo?

Dr Fernando Valerio - Blog - Whey x Caseina - 2
O treino de resistência simultaneamente estimula o catabolismo (consumo) e anabolismo (construção) das fibras musculares ativas. A diferença entre estes mecanismos é chamada de balanço proteico. Quando positivo, o balanço proteico favorece o aumento da massa muscular, como na hipertrofia. O efeito do treino de resistência sobre o balanço proteico pode persistir por mais de  48 horas. Desta forma, mudanças nutricionais poderiam aumentar o acréscimo das proteínas  no músculo, maximizando-se os efeitos do treino de resistência e fazendo com que o anabolismo fosse ainda mais efetivo. Já está bem demonstrada na literatura médica que o consumo de proteína após os exercícios desloca o balanço proteico em favor do aumento da síntese de proteínas. Quando se pensa na fonte de alimentar de proteínas, a suplementação proteica poder prover uma maior resposta anabólica quando comparada ao consumo de uma refeição normal. No entanto, a composição dos suplementos nutricionais, como as proteínas do soro do leite (whey protein) e a caseína, podem influenciar estes resultados, e por isto o tipo de suplemento proteico oferecido deve ser bem avaliado. Deve-se lembrar que só é considerado um suplemento de proteínas aquele produto que contém 50% do seu valor energético total proveniente de proteínas e que apresente no mínimo 10 gramas de proteínas por porção. (mais…)

O treino de resistência simultaneamente estimula o catabolismo (consumo) e anabolismo (construção) das fibras musculares ativas. A diferença entre estes mecanismos é chamada de balanço proteico. Quando positivo, o balanço proteico favorece o aumento da massa muscular, como na hipertrofia. O efeito do treino de resistência sobre o balanço proteico pode persistir por mais de  […]
08 mai 15
Dr. Fernando Valério é credenciado como Gastroenterologista e Nutrólogo na Omint.

Omint Premium É com muita satisfação que comunicamos que o Dr. Fernando Valério, médico,  foi credenciado como nutrólogo e gastroenterologista para o atendimento aos pacientes do plano de saúde Omint (categoria Premium). Há mais de uma década o Dr. Fernando Valério já atua com a Omint nas áreas de Cirurgia do Aparelho Digestivo e Proctologia, e agora estará também atuando na área de Nutrologia e Gastroenterologia (“Gastro”).

Este foi mais um passo importante na carreira do Dr. Fernando Valério, já que demonstra o reconhecimento profissional pelos seus pares. A Omint é reconhecida como um plano de saúde de alto padrão, com busca pela excelência no relacionamento com os seus profissionais credenciados e pacientes. Por isso, a Omint tem em seu corpo clínico médicos com currículos expressivos e com atuação médica admirada pela sociedade médica. Sendo assim, mais do que uma oportunidade profissional, este credenciamento é motivo de orgulho para o Dr. Fernando Valério.

Quanto ao atendimento, o foco maior de atuação do Dr. Fernando Valério na área de Nutrologia e Gastroenterologia serão as alterações alimentares nas doenças do aparelho digestivo (intolerâncias a lactose e glúten, alergias alimentares, diarreia crônica, constipação, Síndrome do Intestino Irritável, diverticulite e diverticulose, refluxo gastroesofágico, gastrite e aumento de gases intestinais), a nutrição esportiva (alimentação para o esporte, suplementos alimentares e ganhos de massa muscular) e os distúrbios metabólicos nutricionais (obesidade, diabetes, síndrome metabólica, vitaminas e minerais).

 

Dados do autor:
Dr. Fernando Valério
Gastroenterologista, Nutrólogo e Proctologista
São Paulo, SP
Consultas: particulares e Omint

É com muita satisfação que comunicamos que o Dr. Fernando Valério, médico,  foi credenciado como nutrólogo e gastroenterologista para o atendimento aos pacientes do plano de saúde Omint (categoria Premium). Há mais de uma década o Dr. Fernando Valério já atua com a Omint nas áreas de Cirurgia do Aparelho Digestivo e Proctologia, e agora […]