01 jan 07

Eu gostaria de comunicar a todos que a partir desta data, a Clínica Dr. Fernando Valério está se desligando de qualquer relação direta e comercial com os convênios de saúde Marítima, Mediservice e Caasp.Deixo claro que esta é uma medida muito bem refletida durante todo o ano de 2006, e que se não se trata de uma decisão imatura, e sim baseada em dados concretos. Lembro também que esta é uma medida relacionada apenas às instituições seguradoras, e que o bom relacionamento com os pacientes será sempre mantido e prezado.

Obrigado.

Eu gostaria de comunicar a todos que a partir desta data, a Clínica Dr. Fernando Valério está se desligando de qualquer relação direta e comercial com os convênios de saúde Marítima, Mediservice e Caasp.Deixo claro que esta é uma medida muito bem refletida durante todo o ano de 2006, e que se não se trata […]
31 dez 06

No livro “Complicações” o cirurgião de Harvard Atul Gawande decreve um caso exemplar para a discussão deste tema: quem deve dar a última palavra: o médico, que se preparou durante anos para tomar decisões, ou o paciente, que é o maior interessado nos resultados e conseqüências destas decisões. (mais…)

No livro “Complicações” o cirurgião de Harvard Atul Gawande decreve um caso exemplar para a discussão deste tema: quem deve dar a última palavra: o médico, que se preparou durante anos para tomar decisões, ou o paciente, que é o maior interessado nos resultados e conseqüências destas decisões.
30 dez 06

A doença hemorroidária, ou seja, a dilatação dos vasos presentes na região do ânus, traz transtornos evidentes a milhões de pessoas ao redor do Mundo. Estes transtornos variam de sangramento e dor ao prolapso hemorroidário (exteriorização destes vasos no momento da evacuação). Todas as informações referentes a doença podem ser lidas em meu site (link Doenças), mas a minha intenção aqui é apagar a impressão geral de que a hemorróida é uma doença obrigatoriamente cirúrgica.A cirurgia para hemorróida é uma das mais temidas pelos portadores desta doença, já que sabidamente o período pós-operatório é extremamente doloroso e difícil. O que é importante enfatizar é que somente os casos mais avançados têm indicação de cirurgia. Para se ter uma idéia prática, de cada 10 pacientes com hemorróida, apenas 2 precisarão ser submetidos ao tratamento cirúrgico, enquanto os outros 8 realizarão outros tipos de tratamentos não cirúrgicos: os tratamentos ambulatoriais. (mais…)

A doença hemorroidária, ou seja, a dilatação dos vasos presentes na região do ânus, traz transtornos evidentes a milhões de pessoas ao redor do Mundo. Estes transtornos variam de sangramento e dor ao prolapso hemorroidário (exteriorização destes vasos no momento da evacuação). Todas as informações referentes a doença podem ser lidas em meu site (link […]
30 dez 06

Eu acredito que para se atingir a excelência em qualquer carreira que se tenha escolhido é preciso seguir algumas regras, principalmente no caso do médico, em que a sua falta de preparo é, em geral, o prejuízo de quem precisou da sua ajuda. Depois de observar profissionais com capacidade profissional inquestionável, incluindo meu Pai (engenheiro) e alguns médicos com que tive a oportunidade de conviver, criei a Regra dos 3 “Cs”: para ser um profissional especial você precisa ser Competente, ter Caráter e se dedicar a sua profissão com o Coração. (mais…)

Eu acredito que para se atingir a excelência em qualquer carreira que se tenha escolhido é preciso seguir algumas regras, principalmente no caso do médico, em que a sua falta de preparo é, em geral, o prejuízo de quem precisou da sua ajuda. Depois de observar profissionais com capacidade profissional inquestionável, incluindo meu Pai (engenheiro) […]
26 dez 06
Por que ser médico?

medico_faixa.jpg

Um dos maiores tormentos que os jovens passam em suas vidas é com certeza a escolha profissional. Levam-se em consideração os prós e os contras de cada uma das opções, o seu desempenho escolar e as opiniões dos familiares. Alguns, a escolhem por exclusão, simplesmente optando por aquela profissão que lhe trará menos transtornos ou esforço no futuro. Estes últimos estão fadados a frustração e ao insucesso. (mais…)

Um dos maiores tormentos que os jovens passam em suas vidas é com certeza a escolha profissional. Levam-se em consideração os prós e os contras de cada uma das opções, o seu desempenho escolar e as opiniões dos familiares. Alguns, a escolhem por exclusão, simplesmente optando por aquela profissão que lhe trará menos transtornos ou […]
01 fev 06
Apendicite Aguda

O que é?

Apendicite aguda é o nome dado à inflamação e a infecção do apêndice cecal. O apêndice cecal é uma extensão do intestino (ceco), com 6 a 10cm de extensão, que se situa no lado direito e inferior do abdome.
A inflamação do apêndice ocorre devido à obstrução do seu interior por fecalitos (fezes). Devido a esta obstrução, ocorre uma grande proliferação de bactérias, e assim instala-se um processo infeccioso, que pode ser leve ou intenso, dependendo do tempo em que o tratamento será realizado.

apendicite_aguda
Sintomas

O diagnóstico da apendicite aguda é feito, primeiramente, baseando-se nos sintomas referidos pelo paciente e no exame físico realizado pelo médico. A historia típica da apendicite é a de dor generalizada do abdome, associada à perda de apetite e náusea. Com o passar do tempo, a dor se instala na região epigástrica (estômago), seguindo para a região do umbigo, até finalmente se localizar na parte inferior e direita do abdome. Nesta fase, vômitos podem ocorrer. Em geral ocorre febre baixa (até 38 °C), elevando-se nos casos de perfuração do apêndice (“supurado”).
Ao exame físico, o paciente refere dor à palpação da parte inferior direita do abdome, com freqüente endurecimento da parede abdominal neste local. Os movimentos intestinais ficam mais lentos, o que é percebido pela distensão abdominal, pela diminuição da eliminação de gases e fezes, e pela diminuição dos ruídos intestinais. Nos casos de perfuração do apêndice, com contaminação de toda a cavidade abdominal com pus, todo o abdome ficará dolorido.

Exames

A maioria dos pacientes com apendicite aguda mostra alteração no hemograma, caracterizada por aumento do número das células de defesa (leucócitos), que variam de 10000 a 20000 células (o normal é de até 10000 células). O exame de urina também pode mostrar alteração, devido ao contato do apêndice inflamado com o ureter e a bexiga.
Quanto aos exames de imagem, os mais utilizados atualmente são a ultra-sonografia e a tomografia computadorizada de abdome. Estes exames mostram o espessamento do apêndice e a presença de pus ao seu redor (abscesso). Além disso, estes exames também são úteis para o diagnóstico de outras doenças que causam dor abdominal, e que podem ser confundidas com apendicite, principalmente nas mulheres (cisto de ovário, gravidez tubária). Os estudos atuais mostram que a tomografia computadorizada mostra maior eficácia do que a ultra-sonografia para os diagnósticos de apendicite aguda.

Tratamento

O tratamento da apendicite é a retirada do apêndice, cirurgia chamada de apendicectomia. No entanto, devido ao quadro infeccioso associado, todos os pacientes devem receber antibióticos, tanto no período pré-operatório, quanto no pós-operatório.
Atualmente, o método indicado para a realização da apendicectomia é a cirurgia vídeo-laparoscópica, realizada através de 3 pequenas incisões, e com o auxílio de um monitor. Este tipo de cirurgia permite uma recuperação mais rápida, devido ao pequeno tamanho das incisões, além de um melhor efeito estético. Além disso, a cirurgia vídeo-laparoscópica permite a inspeção de toda a cavidade abdominal, excluindo-se assim, outras causas de dor abdominal. Nos casos em que há um grande abscesso, há a necessidade de colocação de dreno para o completo esvaziamento do pus da cavidade abdominal.
O tempo de internação varia de 24 a 72 horas em média, dependendo sempre do aspecto do apêndice e da presença de pus no momento da cirurgia.

 

O que é? Apendicite aguda é o nome dado à inflamação e a infecção do apêndice cecal. O apêndice cecal é uma extensão do intestino (ceco), com 6 a 10cm de extensão, que se situa no lado direito e inferior do abdome. A inflamação do apêndice ocorre devido à obstrução do seu interior por fecalitos […]