28 abr 15

Certificado NutrologiaDesde que conclui a minha pós graduação em Nutrologia (Associação Brasileira de Nutrologia – ABRAN e Faculdade de Ciências Médicas de São Paulo) venho respondendo a mesma pegunta: qual a diferença entre o nutrólogo e o nutricionista? Esta é uma dúvida pertinente, e por isso resolvi publicar este artigo explicando a formação e a atuação destes profissionais que estudam a alimentação e as suas repercussões. O nutrólogo é um médico especialista em nutrição, tanto que a Nutrologia é reconhecida como uma especialidade médica, assim como outras, como a cardiologia, gastroenterologia, pediatria, geriatria, cirurgia, proctologia, etc. Desta forma, para se tornar um nutrólogo, este profissional precisa se formar em Medicina, curso este com duração de 6 anos, e depois realizar pós graduação em Nutrologia ou residência médica na área. O nutricionista é formado em Nutrição e Metabolismo, um curso com duração de 4 anos. Do ponto de vista prático, o nutrólogo tem os mesmos direitos e atribuições de qualquer médico, como a solicitação de exames e a indicação de medicamentos, além de ter o seu atendimento garantido pelos planos de saúde sem a necessidade de autorização prévia. No caso dos nutricionistas, o campo de atuação deste profissional reside principalmente na orientação alimentar e formulação de cardápios. Além disso, alguns planos de saúde exigem a indicação de médicos para que os pacientes façam acompanhamento com nutricionistas. De qualquer forma, estes dois profissionais deveriam ser complementares, tornando a abordagem nutricional ainda mais efetiva aos pacientes. Entenda mais sobre a atuação destes profissionais no restante do texto. (mais…)

Desde que conclui a minha pós graduação em Nutrologia (Associação Brasileira de Nutrologia – ABRAN e Faculdade de Ciências Médicas de São Paulo) venho respondendo a mesma pegunta: qual a diferença entre o nutrólogo e o nutricionista? Esta é uma dúvida pertinente, e por isso resolvi publicar este artigo explicando a formação e a atuação […]
18 abr 15
Fibras alimentares: o que são, funções e os seus benefícios à saúde.

Dr Fernando Valerio - Blog - Fibras
A fibra alimentar tem sido relacionada a uma serie de eventos fisiológicos e nutricionais, benéficos à saúde humana, já que sabidamente promove a melhora do trânsito intestinal, retarda o esvaziamento do estômago (aumenta a saciedade e facilita a perda de peso), melhora o volume e consistência das fezes, promove o crescimento seletivo de bactérias no intestino, reduz os níveis de colesterol no sangue e no fígado e diminui a absorção de açúcar. Desta forma, pode-se afirmar que as fibras alimentares atuam sobre o metabolismo dos carboidratos, dos lipídios (gorduras), da fome e da saciedade, além de participar da prevenção de doenças crônicas, como o diabetes, doenças cardiovasculares (infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral), obesidade e alguns tipo de câncer. Devido a estas associações interessantes para a nossa saúde, descrevo neste artigo a definição, tipos, características e funções das fibras. (mais…)

A fibra alimentar tem sido relacionada a uma serie de eventos fisiológicos e nutricionais, benéficos à saúde humana, já que sabidamente promove a melhora do trânsito intestinal, retarda o esvaziamento do estômago (aumenta a saciedade e facilita a perda de peso), melhora o volume e consistência das fezes, promove o crescimento seletivo de bactérias no […]
06 abr 15
Esôfago de Barrett: conduta atual no controle e tratamento desta complicação do refluxo gastroesofágico

Dr Fernando Valerio - Blog - Barett
O refluxo gastroesofágico é uma alteração gastrointestinal em que o conteúdo do estômago (suco gástrico) reflui para o esôfago. O problema é que o esôfago não possui a capacidade de suportar a agressão do líquido refluído (ácido ou alcalino) sem que ocorra algum processo inflamatório. Por esta razão, em alguns pacientes, o revestimento interno do esôfago (mucosa) tenta se adaptar, gerando a troca do tecido do esôfago pelo tecido do intestino, que é mais resistente. Este processo em que um tipo de célula é substituído por outro é chamado de metaplasia, e é consequência da agressão crônica contra um tecido. Esta adaptação celular no esôfago, chamada de metaplasia intestinal, foi descrita por um médico chamado Barrett, e por isso a lesão recebe até o hoje o seu nome (esôfago de Barrett). O interesse maior neste assunto decorre do fato de que tanto o refluxo gastroesofágico quanto o esôfago de Barrett são fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de esôfago (adenocarcinoma de esôfago). O esôfago de Barrett não causa sintomas, mas devido à sua relação com o câncer de esôfago, considero importante discutir este tema, descrevendo os métodos atuais de acompanhamento e tratamento desta lesão. (mais…)

O refluxo gastroesofágico é uma alteração gastrointestinal em que o conteúdo do estômago (suco gástrico) reflui para o esôfago. O problema é que o esôfago não possui a capacidade de suportar a agressão do líquido refluído (ácido ou alcalino) sem que ocorra algum processo inflamatório. Por esta razão, em alguns pacientes, o revestimento interno do […]
20 mar 15
Esteatose hepática e as suas relações com a obesidade, diabetes e cirrose.

Dr Fernando Valerio - Blog - Esteatose
A esteatose hepática representa a alteração gordurosa que acomete o fígado, e que tem como nomenclatura mais completa “Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica” (NAFLD – nonalcoholic fatty liver disease). A definição da esteatose hepática pela Associação Americana para o Estudo das Doenças do Fígado é de que a esteatose  representa o acúmulo primário de gordura no fígado, sem que este acúmulo tenha sido causado por outras alterações, como o consumo de álcool, medicação ou doenças hereditárias. No mecanismo da esteatose hepática, vesículas de gordura são incorporadas às células do fígado, chamadas de hepatócitos. A esteatose hepática primária está comumente associada às alterações metabólicas (conhecidas como Síndrome Metabólica), como a obesidade, a resistência à insulina (diabetes) e alterações de colesterol e triglicérides (dislipidemias).  Estas alterações metabólicas são importantes porque aumentam o risco de doença cardiovascular e diabetes, grandes causadoras de óbitos. Além disso, este acúmulo de gordura no fígado pode gerar um processo inflamatório nas células deste órgão, causando um quadro de esteato-hepatite não alcoólica. O problema é que a esteato-hepatite pode evoluir para a fibrose, cirrose hepática e câncer de fígado (hepatocarcinoma). Desta forma, o meu objetivo com este artigo é discutir a relação da esteatose hepática com os distúrbios metabólicos e seus riscos, além das lesões que ocorrem no fígado decorrentes da presença da gordura. (mais…)

A esteatose hepática representa a alteração gordurosa que acomete o fígado, e que tem como nomenclatura mais completa “Doença Hepática Gordurosa Não Alcoólica” (NAFLD – nonalcoholic fatty liver disease). A definição da esteatose hepática pela Associação Americana para o Estudo das Doenças do Fígado é de que a esteatose  representa o acúmulo primário de gordura […]
20 mar 15
Sarcopenia: a diminuição patológica da massa muscular e do desempenho físico.

Dr Fernando Valerio - Blog - Sarcopenia
O aumento da expectativa de vida nos trouxe benefícios, mas também algumas preocupações e necessidade de cuidados. Uma delas é o declínio da massa muscular que ocorre durante a vida, e que nos leva à diminuição da força muscular e independência física. O termo sarcopenia vem do grego, significa “perda de carne”, e é definido como a perda de massa e força muscular que ocorre com o avançar da idade. A sarcopenia é considerada parte do que chamamos de Síndromes Geriátricas, e tem relação com a idade avançada (idosos), dieta inadequada, estilo de vida sedentário, doenças crônicas e certos tratamentos medicamentosos. A sarcopenia representa a perda do estado de saúde com prejuízo pessoal imenso caracterizado pelas alterações de mobilidade, aumento dos índices de queda e fratura, piora da capacidade e da performance física nas atividades diárias, perda de independência pessoal e aumento do risco de óbito. Por isso tudo que já foi dito, o estudo da sarcopenia é fundamental em uma sociedade que envelhece a cada dia. A sarcopenia deve ser lembrada por médicos e pacientes, afim não só de tratá-la, mas principalmente, de preveni-la, e este é o principal motivo para que eu tenha publicado este artigo. (mais…)

O aumento da expectativa de vida nos trouxe benefícios, mas também algumas preocupações e necessidade de cuidados. Uma delas é o declínio da massa muscular que ocorre durante a vida, e que nos leva à diminuição da força muscular e independência física. O termo sarcopenia vem do grego, significa “perda de carne”, e é definido […]
14 mar 15
BCAA e seus efeitos no músculo, na fadiga e no metabolismo.

Dr Fernando Valerio - Blog - BCAA
BCAA e seus efeitos no músculo , na fadiga e no metabolismo. Recentemente, atletas recreativos e profissionais se utilizam de substâncias ergogênicas. Estas substâncias são produtos utilizados com o objetivo de melhorar o desempenho físico e a recuperação após o exercício, o que ocorre através do incremento da musculatura e da performance física. Entre estas substâncias ergogênicas estão os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA – branched chain amino acid), e que são representados pela leucina, isoleucina e valina. Os aminoácidos de cadeia ramificada são essenciais na dieta e, portanto relevantes na regulação da síntese proteica muscular. Os aminoácidos colaboram no nosso metabolismo, fazendo que o desempenho físico seja melhorado e a recuperação funcional durante a prática esportiva. O BCAA é o tipo de aminoácido mais comumente utilizado pelo músculo esquelético e serve como importante substrato de energia quando os carboidratos se reduzem após um exercício prolongado. Desta forma, o objetivo deste artigo é mostrar como o BCAA é capaz de reduzir a fadiga, os danos musculares e alterar o metabolismo, promovendo a utilização de gorduras. (mais…)

BCAA e seus efeitos no músculo , na fadiga e no metabolismo. Recentemente, atletas recreativos e profissionais se utilizam de substâncias ergogênicas. Estas substâncias são produtos utilizados com o objetivo de melhorar o desempenho físico e a recuperação após o exercício, o que ocorre através do incremento da musculatura e da performance física. Entre estas […]