Hemorróidas: qual o melhor tratamento? Ligadura elástica, THD, PPH (grampeador) ou cirurgia convencional?

Hemorróidas: qual o melhor tratamento? Ligadura elástica, THD, PPH (grampeador) ou cirurgia convencional?

O quadro de hemorróidas se caracteriza pela dilatação das veias anais, e é algo extremamente comum, sendo que pelo menos 50% das pessoas com mais de 50 anos já experimentaram ou experimentam os sintomas da doença hemorroidária. Mas a maior preocupação por parte dos pacientes e dos Proctologistas é saber qual a melhor forma de tratar este problema, visto que as opções são muitas, o que pode trazer certa confusão. Para responder a esta questão é importante que se entenda os tipos de hemorróidas. Quanto à localização, as hemorróidas são divididas em internas e externas, de acordo com a localização dos vasos anais comprometidos (vasos internos ou externos ao à borda anal).  Em relação às hemorróidas internas deve-se também classificá-las de acordo com o grau de prolapso (exteriorização do mamilo hemorroidário), sendo que no Grau I não há prolapso, no grau II ele se reduz para dentro do canal anal de forma espontânea, no Grau III há a necessidade de manobra manual e no Grau IV, o prolapso se apresenta de forma irredutível.

Quanto ao tratamento, ele é estabelecido de acordo com o tipo de hemorróida. No caso das externas, caso não haja controle com medidas clínicas, como evitar o uso do papel, a cirurgia é indicada. No caso das hemorróidas internas, a escolha pelo tratamento é mais complexa e depende do grau da hemorróida.  No grau I, em geral 80% dos pacientes melhoram apenas com dieta e mudança de hábitos, como não ler no banheiro. Nos graus II e III, o tratamento costuma se realizar de maneira ambulatorial (no próprio consultório), e tem como principal método a ligadura elástica (opinião comprovada pelos estudos comparativos entre os outros métodos ambulatoriais, inclusive com o laser, a crioterapia e a escleroterapia). A ligadura foi descrita na literatura médica em 1954 e até hoje é considerada o melhor manejo não cirúrgico para as hemorróidas, já que é aplicada de maneira simples, rápida e com bons resultados. Alguns estudos consideram a ligadura elástica um método tão eficaz quanto à cirurgia para estes graus, com a vantagem de não apresentar os efeitos colaterais evidentes da cirurgia, como a dor e o afastamento das atividades diárias. No grau IV, a opção é sempre a cirurgia, sendo que o método que apresenta melhores resultados ainda é a cirurgia convencional.

E quanto ao PPH (Procedimento para Prolapso Hemorroidário) e ao THD (Desarterização Hemorroidária Transanal guiada por doppler), onde estes novos métodos podem ser aplicados com sucesso? Quando foram descritos tinham como objetivo substituir a cirurgia convencional, diminuindo desta forma o tempo de internação, a dor pós-operatória e longo afastamento. No entanto, observou-se que a longo prazo, a cirurgia convencional ainda apresentava os melhores resultados, com os menores índices de recidiva (retorno) da doença anal. Visto isto, estes métodos passaram a ser aplicados para Graus II e III, onde tinham maior sucesso. Mas aí, na minha opinião, há uma contradição: por que aplicar um método cirúrgico para estes graus (II e III) se eles já vinham sendo tratados com sucesso através de métodos ambulatoriais, como a ligadura elástica? Por esta razão, os estudos mais recentes mostram que a melhor indicação para o PPH e para o THD é aplicá-los nos casos de graus II e III que não apresentaram bons resultados com os métodos ambulatoriais. Pessoalmente também compartilho desta opinião.

De qualquer forma, uma informação muito relevante deve ser publicada aqui: somente 20% dos casos de hemorróidas realmente precisam do tratamento cirúrgico para o seu tratamento!

Leia também:

Hemorroidas: sintomas e tratamentos

Ligadura Elástica: a cirurgia é a única opção?

 

Postado por:

Dr. Fernando Valério